Canal do Monark no YouTube é bloqueado e ele culpa o STF

O influenciador Bruno Aiub, mais conhecido como ‘Monark’, teve seu canal no YouTube bloqueado nesta terça-feira (8). Na busca pelo antigo perfil, aparece a mensagem: “Este canal não está disponível em seu país”.

Após o canal sair do ar, Monark utilizou sua conta no Twitter para culpar o Supremo Tribunal Federal (STF) de “censura”. O influenciador ainda chamou Alexandre de Moraes de ditador.

“Fui censurado pelo STF… Não vivemos em uma democracia. Me acompanhe no Rumble/monark! Quantos dias até a policia vir na minha casa? Alexandre de Moraes age como um ditador”, disse o youtuber.

Moraes já vinha sendo alvo de críticas de Monark nas redes sociais. “Estamos vivendo uma ditadura do judiciário. Situação é grave”, disse o influenciador.

Já na madrugada desta quarta-feira (9), Monark publicou um e-mail recebido do YouTube, o qual explica que o canal foi bloqueado no Brasil. “Informamos que o YouTube recebeu uma denúncia por motivos jurídicos relacionada à sua conta. Após análise, seu canal foi bloqueado no site do YouTube deste país: Brasil”, diz o texto.

Monark afirmou que deve ter sido censurado por divulgar a live do argentino Fernando Cerimedo, responsável pelo canal “La Derecha Diário”, do YouTube que divulgou uma fake news em sua live, afirmando que cinco modelos de urnas eletrônicas usadas na eleição deste ano no Brasil registraram mais votos para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do que para Bolsonaro.

Ao descobrir o fato, ele ainda levou um sermão de Arthur do Val, o Mamãe Falei, deputado estadual cassado.

Monark questionou se é “crime” compartilhar uma informação e perguntou se Arthur do Val concorda com o ocorrido. Ao ouvir uma resposta positiva, o podcaster se exaltou e chamou o deputado de ditador. Mamãe Falei, por sua vez, rebateu Monark: