Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Cidades

Cineamazonia Itinerante – 16ª Edição exibe filmes na Bolívia

Nas quatro localidades, vão ser exibidos filmes com uma grade específica, focada na valorização do cinema Latino Americano

Cineamazonia Itinerante – 16ª Edição exibe filmes na Bolívia
Foto: Divulgação

Como parte do projeto da mostra de filmes da 16ª Edição do Cineamazônia Itinerante, serão exibidos em quatro cidades da Bolívia, as margens do Rio Guaporé, com a seguinte programação: Cafetal, dia 04 de junho, Remanso no dia 07 de junho, Mateguá no dia 11 e Versalles no dia 13 de junho.

Nas quatro localidades, vão ser exibidos filmes com uma grade específica, focada na valorização do cinema Latino Americano. Na categoria Animação, a programação conta com os filmes cariocas “Miudinho”, de Eliane Gordeff e Cláudio, “O Fim da Fila” de Willian Côgo, o goiano “O Bagre de Bolas” de Luiz Botosso e Thiago Veiga, “Animais” do paulista Guilherme Alvernaz e o catarinense “Adogás” de Henrique Neumann. O argentino Walter Cáceres exibe a animação “Transformarias” e os peruanos Benny Rios Arenas e Marllory Quio Valdivia exibem “Motel Mama”.

Na categoria Documentário serão exibidos três filmes: o espanhol “Hijas de Nungulli” de Arturo Hortas, o mexicano “La Sierra Madre” de Antonio Isordia Llamares e o peruano “Los Ojos del Camino”, de Rodrigo Otero Heraud. Fecha a programação na Bolívia a Ficção o colombiano “Elemento”, de Nina Marin.

O Cineamazônia Itinerante percorre de 01 a 20 de julho o Rio Guaporé, na divisa entre Brasil, no Estado de Rondônia, e Bolívia, levando cinema às populações ribeirinhas, se apresentando nos dois lados da fronteira ao longo dos anos.

Conheça um pouco de cada localidade boliviana:

Cafetal – 04 de junho de 2019 - A comunidade de Cafetal se localiza ao lado da base militar, e sua população é formada por pequenos agricultores e criadores. O posto militar de Cafetal, na Bolívia, faz parte da história recente do país. Foi nele que o presidente Evo Morales foi mantido preso em represália à sua atuação como liderança de agricultores ‘cocaleros’. Já como presidente, Morales determinou que todas as escolas bolivianas ao longo do Rio Guaporé deveriam ser conectadas à internet.

Remanso – 07 de junho de 2019 - Influenciada por um garimpo a 40 km do centro da comunidade, Remanso é uma cidade que sofre também a influência do comércio da castanha feito por localidades próximas como Mateguá. Há uma presença intensa de crianças e adolescentes entre os cerca de 500 moradores. A população jovem tem dificuldade para encontrar ocupação, já que há poucos postos de trabalho.

1980

Mateguá – 11 de junho de 2019 - Em Mateguá vive a comunidade Israelita, um grupo religioso que segue as diretrizes dos 10 mandamentos do Velho Testamento. É uma comunidade onde os homens usam longas barbas e cabelos e as mulheres protegem a cabeça com véus. O lugar é dividido entre os que professam a fé e os que não seguem essa crença, em um total formado por cerca de 23 famílias. Mateguá é formada por choupanas de madeira cobertas de palha. As mulheres ‘israelitas’ usam véus nos cabelos e longos vestidos de cores sóbrias. Os homens que seguem a mesma religião não cortam os cabelos nem aparam as barbas. Entre os meses de janeiro e março, a castanha, farta, abastece a comunidade.

Versalles – 13 de junho de 2019 - Versalles era conhecida, no auge da navegação pelo Guaporé, por seus habilidosos construtores de barcos. Funcionou como um dos maiores estaleiros da região. Movimentado, recebiam encomendas de comerciantes do ramo de transporte fluvial, ali era o centro do comércio de embarcações. A partir da década de 1980, com a abertura das rodovias, principalmente a BR-364 que liga Porto Velho à Cuiabá, o transporte fluvial foi ficando mais caro e inviável, a ponto de diminuir drasticamente o transporte de produtos. Hoje, limita-se ao turismo, transporte de castanha e a locomoção de ribeirinhos. As cerca de 180 pessoas da comunidade se consideram uma família, e tem planos de se capacitarem para receber turistas.

Notícias Relacionadas