Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Cidades

Justiça do Amazonas proíbe carreata de empresários contra o isolamento social

Justiça do Amazonas proíbe carreata de empresários contra o isolamento social
Foto: Divulgação

A Justiça do Amazonas proibiu a realização de carreata acatando a um pedido do Ministério Público do Estado. O ato que estava sendo convocado por empresários, comerciantes, motoristas e até o superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), n.seria realizado nesta segunda-feira (30), devido a esta decisão da Justiça não deve mais acontecer.

A intenção da carreata era de quebrar o isolamento social e criar aglomeração de pessoas nas ruas, assim os organizadores pretendiam afrontar a ordem do governo e reabrir as portas dos comércios.

Tratava-se, portanto, de atitude totalmente contrária às recomendações do trabalho de prevenção da saúde pública diante da crise do coronavírus.

Conforme despacho do juiz Flávio Henrique de Freitas, o governador Wilson Lima (PSC) pode até usar a força policial contra os que desobedecerem a ordem.

Dessa forma, a Justiça acolheu pedido feito pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM). Nos argumentos à Justiça, o órgão disse que não há como controlar uma carreata e nem evitar aglomeração de pessoas.

Isolamento necessário

De acordo com o magistrado, o isolamento social é medida altamente recomendada pelas autoridades de saúde.

Embora reconheça que há efeitos da crise do coronavírus sobre a economia, o juiz escreveu que “não pode ficar inerte frente aos princípios de prevenção e precaução”.

Evitar aglomerações de pessoas é seguir regras sanitárias estabelecidas pela OMS, em âmbito mundial, e pelo Governo do Amazonas, em nível local.

Com informações de BNC

Notícias Relacionadas