Praia da Ponta Negra será interditada novamente

162

A Praia da Ponta Negra, em Manaus, está interditada novamente. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (18), pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, que afirmou que a medida está sendo tomada para resguardar a população. Ontem, já havia sido anunciado o cancelamento do aniversário da cidade e da festa de ano novo.

A Ponta Negra havia sido reaberta no início de julho, após passar três meses fechada. Mesmo com as orientações da Prefeitura de Manaus para que as pessoas usassem máscaras e obedecessem distanciamento, as recomendações nunca foram seguidas.

“Eu editei um novo decreto de emergência, decretei o fechamento da praia da Ponta Negra, pelo bem da saúde e da vida. Estou determinando maior rigor na fiscalização das medidas preventivas. Temos uma população sequestrada por aqueles que não cumprem a regra. Elas não abrem mão da sua liberdade e mantêm o restante da população privada de sua liberdade, nos mantêm sequestrados”, disse Arthur.

O prefeito avaliou que a responsabilidade é de pessoas e de governo.  “A culpa é dessas pessoas, mas também é de quem viu na abertura das regras a possibilidade de retomada do crescimento econômico. O que vemos são pessoas perdendo a vida ou sequestradas em suas casas. Um complexo de erros de pessoas e de governo e que está custando muito caro para nossa cidade e para a nação”, defendeu.

Segundo Arthur Neto, a intenção é adotar medidas mais rigorosas, proibindo aglomeração em balneários e raves que, na opinião dele, estão sendo responsáveis pelo aumento nos casos da doença. “Gostaria de decretar a proibição dessas festas, mas tenho que ter certeza que contarei com o apoio do Estado”, comentou o prefeito.

Semsa

Ainda segundo o prefeito, a determinação é apoiada em registros da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) que mostram o aumento na demanda espontânea de casos suspeitos de Covid-19 nas 11 Unidades Básicas de Saúde preferenciais para esse atendimento, embora os números ainda não permitam afirmar uma “segunda onda” de casos.

O titular da Semsa, Marcelo Magaldi, avaliou como altamente necessário o aumento da fiscalização da Vigilância Sanitária. “Não há sistema de saúde que resista com tanta gente se aglomerando e descumprindo as regras. Muitas festas, bares, muita aglomeração e isso tem provocado o aumento de demanda e pode provocar uma segunda onda do vírus. Esperamos não voltar ao abril negro. O inimigo é mortal, invisível e todos nós precisamos fazer nossa parte: evitar aglomeração, usar os equipamentos de proteção”, concluiu.

Números crescentes

Embora ainda não seja possível falar em “segunda onda” da pandemia, a Vigilância Epidemiológica do município registrou aumento na demanda espontânea de casos suspeitos de Covid-19 nas UBS preferenciais. Houve também a confirmação de 4.158 casos novos só entre os dias 1º e 17 de setembro. O Serviço Móvel de Urgência e Emergência (SAMU 192 Manaus) também vem registrando aumento nas ocorrências. Só no dia 17 de setembro, dos 155 chamados, 14 foram casos de Covid-19, o equivalente a quase 10% das chamadas. A Fundação de Vigilância em Saúde no Amazonas (FVS-AM) também indica um aumento 6% de ocupação das UTI e 20% dos leitos clínicos da rede pública e de 10% nos leitos de UTIs e 30% nos leitos clínicos da rede privada.

Investimentos

Desde o início da pandemia em Manaus, a prefeitura contratou 723 profissionais entre enfermeiros, técnicos em enfermagem, técnicos em necropsia, técnicos em patologia, médicos clínico geral, médicos patologistas, fisioterapeutas e 90 bolsistas. No total, dos 276 profissionais que atuaram no hospital de campanha, hoje, 193 estão lotados nas UBSs. Mais 30 bolsistas serão chamados a partir de segunda-feira (21), número que pode ser ampliado de acordo com a necessidade. Além disso, tomarão posse no dia 1º de outubro, seis Agentes Indígenas de Saúde que atuarão no atendimento às comunidades indígenas urbanas com sintomas da doença.

“Manaus é a cidade que mais cresceu em cobertura básica de saúde e, mesmo na pandemia, crescemos para 64,1% de cobertura, que com os 25% dos planos privados, alcança 90% de cobertura”, afirmou o prefeito. Esse é o melhor resultado desde dezembro de 2008, quando foi implantado o indicador. De acordo com o prefeito, esse resultado deve muito à implantação da Escola Pública de Saúde (Esap).

UBSs preferenciais

Os horários de atendimento seguirão a rotina da UBSs de horário ampliado – de segunda a sexta-feira, das 7h às 21h. Aos sábados, das 8h às 12h. A Clínica da Família Carmen Nicolau funcionará de segunda a sexta, das 7h às 19h e sábados, domingos e feriados das 8h às 18h. Nos locais, são realizados acolhimento, consultas, testagem rápida e dispensação de medicamentos. Se o quadro demandar, o paciente é encaminhado aos serviços hospitalares.

Distrito Leste

– UBS ALFREDO CAMPOS – rua André Araújo, s/nº – Zumbi 2

– UBS DR. JOSÉ AMAZONAS PALHANO – rua Antônio Matias, São José 2

– UBS MARIA LEONOR BRILHANTE – avenida Autaz Mirim, Tancredo Neves

Distrito Norte

– UBS AUGIAS GADELHA – rua A, nº 15 – Cidade Nova 1

– UBS BALBINA MESTRINHO – rua 17, nº 170 – Cidade Nova

– UBS MAJOR SÁLVIO BELOTA – rua das Samambaias, nº 786 – Santa Etelvina

Distrito Sul

– UBS JOSÉ RAYOL DOS SANTOS – avenida Constantino Nery, Chapada

– UBS MORRO DA LIBERDADE – rua São Benedito, Morro da Liberdade

Distrito Oeste

– UBS DEODATO DE MIRANDA LEÃO – avenida Presidente Dutra, Glória

– UBS LEONOR DE FREITAS – avenida Brasil, s/nº – Compensa 2

CLÍNICA DA FAMÍLIA CARMEN NICOLAU – rua Santa Tereza D’ávila, Lago Azul

Novas UBS Preferenciais seguirão o horário de 7h às 19h, de segunda a sexta-feira, em dias úteis.

Zona Norte: UBS Arthur Virgílio

Zona Sul: UBS Dr. Luiz Montenegro, UBS Theomário Pinto e Theodomiro Garrido

Zona Leste: UBS Ivone Lima e UBS Gebes de Medeiros

Zona Oeste: UBS Santos Dumont