Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Cidades

Professores protestam em frente à sede do Tribunal de Justiça

Um grupo de professores protestou em frente à sede do Tribunal de Justiça do Amazonas na avenida André Araujo no Aleixo

Professores protestam em frente à sede do Tribunal de Justiça
Foto: Divulgação

Manaus / AM - Um grupo de professores realizaram um pequeno protesto na manhã desta terça-feira (21), em frente à sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), na Avenida André Araújo na zona Centro-sul da capital amazonense. O protesto dos servidores da educação, é referente a decisão do judiciário que determinou a suspensão da greve da categoria e, ainda, aplicação de multa diária é de R$ 20 mil em caso de descumprimento.

Há pouco mais de um mês os trabalhadores da educação estadual, iniciou uma greve, em busca de melhorias salariais.

A presidente de um dos sindicatos que representam a categoria, Asprom-Sindical, professora Helma Sampaio disse estar indignada com a ação movida pelo Estado, que foi acatado pelo desembargador e ressaltou que a categoria luta apenas pelos seus direitos. “Nós nos encontramos indignados com a decisão do desembargador Elci Simões, que decidiu que a nossa greve é ilegal", comentou.

"No último dia 17, o desembargador fez um agravo e aplicou uma multa de R$ 20 mil e depois aumentou mil reais por dia dizendo que a greve é ilegal. Lutar não é crime é direito nosso e está na constituição" disse a presidente da Asprom-Sindical.

De acordo com informações de representantes da categoria a mesa de negociação com o governo do Estado foi reaberta na tarde desta terça-feira (21), e os representantes dos profesaores junto com o os representantes do governo do Estado estarão em reunião na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), para discutir uma nova proposta para que enfim, termine a greve.

Notícias Relacionadas