Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Curiosidades

Depressão, saiba os perigos da silenciosa doença emocional

Saiba como identificar alguns sintomas da depressão, doença relacionada a sua saúde mental

Depressão, saiba os perigos da silenciosa doença emocional
Foto: Divulgação
Por: Dr. Sérgio Machado

Geralmente, quando o assunto é saúde, a maioria das pessoas procuram imediatamente relacionar o tema ao corpo físico. Mas não podemos esquecer que o bom funcionamento físico do corpo, depende em grande parte da saúde da mente. Precisamos compreender que a saúde emocional deve se manter alinhada com a saúde física do corpo.

Não é difícil perceber que muitas pessoas quando descobrem que foram acometidas por uma grave doença, a primeira estrutura que sofrerá um grande impacto, será a emocional. Pesquisadores e especialistas da área da saúde, são unânimes em afirmar que a depressão e a ansiedade são os dois grandes inimigos da saúde do corpo e da mente no século XXI. Portanto, não podemos tratar esses dois temas como tabu, no contexto familiar, nem no meio social.

Os principais sintomas da depressão são: ausência de prazer, perda de interesse nas atividades do dia a dia, assim como baixa autoestima, sentimento de culpa, distúrbios do sono e apetite, irritabilidade, apatia, alterações de humor tristeza persistente, entre outros. Já a ansiedade, é uma emoção normal do ser humano. Porém, em excesso pode acarretar em doença. Dentre os sintomas podemos destacar: constante tensão, sensação de que algo ruim vai acontecer, preocupação exagerada, dor ou aperto no peito e aumento das batidas no coração, respiração ofegante e falta de ar.

Atualmente estamos diante de um alarmante crescimento do número de suicídios. A Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que as doenças emocionais serão as mais impactantes na saúde da população mundial até 2020, encabeçando essa estimativa estará a depressão. Entre os anos de 2005 a 2015, sua incidência cresceu 18,4%, atingindo 322 milhões de pessoas em todo o mundo. Portanto, não podemos cometer o erro de abandonar a discussão sobre o assunto que é de extrema relevância para todos, já que ainda existe muita desinformação a seu respeito.

O suicídio é um inimigo silencioso que afeta a saúde mental dos indivíduos. Estima-se que esta seja a terceira causa de morte entre jovens e adolescentes, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Muito embora o suicídio seja um dos mais antigos temas relacionados à saúde dos indivíduos, é perceptível que no decorrer dos anos, talvez até pela dificuldade em identificar precocemente os sintomas, que os nossos especialistas não tenham conseguido combatê-lo de forma eficaz. O suicídio é um inimigo silencioso que precisa ser observado com atenção.

Um indicativo que nos chama atenção é que praticamente 98% dos indivíduos que cometem suicídio apresentavam algum transtorno, ou seja, aqueles ligados ao humor como: depressão, ansiedade ou bipolaridade. A maioria dos especialistas no assunto afirma que mais de 70% das crianças e adolescentes com transtornos de humor grave não apresentam diagnóstico, tão pouco tratamento adequado.

Vale ressaltar que a dificuldade em identificar na família uma doença emocional, resulta da particularidade de cada caso, um exemplo disso é que nem sempre o que causa a depressão em uma pessoa é o mesmo que causará em outra. 

Não podemos deixar de observar que alguns fatos como o divórcio, o desemprego, doenças, o término de um relacionamento, ausência da família e o bullying são situações que desencadeiam o estresse e, se não for identificado e tratado, tornar-se-á prolongado e isso pode levar a pessoa à depressão.

Precisamos ficar atentos com nossos amigos e familiares, encarar com seriedade todas as ameaças de suicídio, mesmo que ela pareça manipulativa ou falsa. Na maioria das vezes a doença emocional se desenvolve a partir do sofrimento emocional, de forma silenciosa. A pessoa com depressão precisa de ajuda, em função da incapacidade em cuidar de si, principalmente nos períodos de fragilidade.

Esse mal não deve vencer. É preciso que estejamos atentos para os sinais, sintomas, e atitudes dessas pessoas que precisam de ajuda. Ao identificar, não se deve confrontar, mas sim, acolher e incentivar a pessoa a buscar ajuda de profissionais especializados, através de uma combinação de terapia e medicamentos, para que essa doença emocional seja devidamente tratada.

Neste setembro Amarelo temos o compromisso de unir forças nessa corrente do bem, que carrega a grande missão de alertar a população para a gravidade da depressão. Doença esta, que tem levado milhares de pessoas a cometerem suicídio.

Notícias Relacionadas