Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Curiosidades

Dezoito de outubro, Dia do médico

Dezoito de outubro, Dia do médico
Foto: Divulgação

Por: Dr. Sérgio Machado

Uma atividade que surgiu há milhares de anos e os brasileiros elegeram a data de hoje em nosso calendário para homenagear o profissional de medicina, que além de toda responsabilidade em torno dessa profissão, também enfrentam grandes dificuldades cotidianamente, como a falta de estrutura de muitos hospitais brasileiros e também a falta de recursos materiais. 

Infelizmente, sem condições de trabalho, os médicos não conseguem desempenhar de maneira adequada o seu papel, o que gera na maioria das vezes insatisfação por parte de muitos pacientes. 

Um dia para homenagear os profissionais de medicina. Mas, qual o estímulo que cada um de nós médicos teríamos para comemorar esta data, quando o cenário atual nos coloca diante de um sistema público de saúde que agoniza? 

Um aparelhamento que não consegue oferecer suporte aos médicos e ao mesmo tempo atender com qualidade 40% das 150 milhões de pessoas que dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde. Ou seja, três quartos da nossa população que depende apenas e exclusivamente do SUS.

Essa precariedade no sistema de saúde pública se deve por duas razões bem pontuais: a primeira é o subfinanciamento, ou seja, a verba que o governo aplica em saúde não é suficiente para atender e tratar de forma eficaz toda população que depende do SUS. 

Em segundo lugar, o sistema é mal gerenciado pela gestão pública, com isso, o recurso que já é insuficiente, ainda é mal administrado. Além disso ainda há interferências políticas que se espalha por toda a máquina pública brasileira.

O resultado de toda essa convergência entre subinvestivestimentos, planejamentos mal elaborados, irregularidades e ingerência, sempre serão os fomentadores do caos no atendimento público de saúde em nosso país. O mais grave é que seus reflexos serão sentidos apenas por cada cidadão e cidadã que necessitam de algum tratamento na rede pública de saúde.

Diante desse cenário, não nos faltam exemplos do descaso público com a saúde daqueles brasileiros que mais precisam de atendimento e não podem recorrer e acessar a saúde suplementar por meio de um plano particular. Dentre esses descasos podemos citar a falta de medicamentos, a demora na fila de espera por uma consulta que duram de seis meses a um ano, a falta de leitos em hospitais, a ausência de médicos nos plantões, equipamentos de exames quebrados, além da falta de material básico para os atendimentos emergenciais.

Portanto, diante desse cenário que não é exclusivo apenas da nossa região, mas envolve todo o território nacional, neste 18 de outubro pouco há o que comemorar e muito que trabalhar e reivindicar para que um dia a saúde pública seja tratada com prioridade e a população atendida com a dignidade que merece. Somente diante desse cenário, todos nós profissionais de medicina teremos o que realmente comemorar.

Notícias Relacionadas