Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Curiosidades

Saiba o que é o transtorno de estresse pós-traumático

Saiba o que é o transtorno de estresse pós-traumático
Foto: Divulgação

Por: Dr. Sérgio Machado

Conforme o nome recomenda, o transtorno do estresse pós-traumático é um distúrbio de ansiedade que surge como consequência de alguém ter sido vítima de uma experiência traumática ou violenta (física e mental). Por ser Perito Oficial Médico Legista este tema muito me interessa. Trabalho diretamente com as consequências das situações de sofrimento e violência. Portanto, em comemoração ao dia internacional da saúde mental, aproveito para tocar no tema.

2658

Para o doutor Drauzio Varela, “a característica do TEPT é compreendida como um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais em decorrência do portador ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que, em geral, representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros.” Isto inclui a Violência Doméstica contra a Mulher, crianças e idosos, o luto esperado ou não é outras formas graves de violência como o estupro.

Quando a pessoa que sofreu o fato, começa a recordar, ele revive o episódio, como se estivesse ocorrendo naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento que o agente agressor provocou. Essa recordação, conhecida como revivescência, desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais.

Baseado no que os especialistas que lidam com o tema afirmam, estatisticamente, aproximadamente 15% a 20% de todas as pessoas que, por alguma razão participaram de alguma forma como vítima ou testemunha de um casos de violência como: agressão física, abuso sexual, terrorismo, tortura, assalto, sequestro, acidentes, guerra, catástrofes naturais ou provocadas, acabam desenvolvem esse tipo de transtorno. 

Muito embora essas estatísticas sejam uma realidade constatada, o maior problema não está no desenvolvimento do TEPT causado pela experiência violenta, e sim, na ausência da procura por ajuda por parte da grande maioria, que somente iniciam a busca anos após serem atingidos pela primeira crise do trauma. Agravado mais ainda pela incompetência do sistema público de saúde em lidar com o bem-estar mental da população.

 A maioria dos especialistas apontam que os sintomas podem surgir em qualquer faixa etária e podem demorar um pouco a se manifestar. Geralmente se manifestam agrupados em três categorias, são elas:

a) Reexperiência traumática: pensamentos recorrentes e intrusivos que remetem à lembrança do trauma, flashbacks, pesadelos;

b) Esquiva e isolamento social: a pessoa foge de situações, contatos e atividades que possam reavivar as lembranças dolorosas do trauma;

c) Hiperexcitabilidade psíquica e psicomotora: taquicardia, sudorese, tonturas, dor de cabeça, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, irritabilidade, hipervigilância.

O transtorno do estresse pós-traumático é uma das perturbações psicológicas mais comuns do mundo, principalmente nas regiões de características violentas, bem como as que estão sempre sujeitas a desastres naturais. O transtorno tem atingido aproximadamente 7,8% da população global em algum período da vida. Baseado nesse percentual, estima-se que as mulheres são as mais afetadas pelo trauma.

Conforme apontam alguns especialistas, A duração média do transtorno do estresse pós-traumático é de três a cinco anos, implicando na causa de alterações imutáveis na personalidade de uma em cada três vítimas.

Vamos ficar sempre atentos aos primeiros indícios do transtorno do estresse pós-traumático, ele é um inimigo silencioso que precisa ser tratado o mais rápido possível. Ao perceber alguma alteração que possa apontar para o desenvolvimento do transtorno, peça ajuda de um Psicólogo e Psiquiatra. Quanto mais precoce você realizar o tratamento, mais cedo você se livrará desse mal que assola a nossa comunidade.

Notícias Relacionadas