Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Polícia

Após mortes no Compaj, bandidos aterrorizam o Viver Melhor

Áudios circulam nos aplicativos de mensagens, ordenando um toque de recolher a moradores e comercios no conjunto

Após mortes no Compaj, bandidos aterrorizam o Viver Melhor
Foto: Divulgação

Manaus / AM - Após a morte de 15 detentos em briga de facções neste domingo (26) dentro do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), bandidos passaram a aterrorizar o conjunto Viver Melhor na zona Norte da capital amazonense.

Barracos que seriam de traficantes, foram incendiados no início da noite na invasão Monte Horebe, que fica no conjunto Viver Melhor. O fogo foi controlado pelos próprios moradores do local.

Policiais militares da 26° Companhia Interativa Comunitária (Cicom), foram acionados em seguida, após áudios atribuidos a bandidos, começarem a circular em aplicativos de memsagens, ordenando um toque de recolher.

1947

Os criminosos teriam ordenado a população não sair de casa e, que os comércios fechassem suas portas. Os ônibus que circulam no conjunto foram recolhidos e deixaram de rodar nas primeiras horas da noite, deixando os moradores sem transporte coletivo.

Os militares chegaram no conjunto e estão patrulhando toda a área com rodo seu efetivo, para manter a ordem no conjunto.

1948

Em nota, a 26° Companhia Interativa Comunitária (Cicom) negou as informações, atribuindo o caso a boatos, mas ainda assim a Polícia Militar reforçou o policiamento com patrulhamento ostensivo e preventivo.

Não foi verificado na região nenhuma presença de criminosos armados. A Cicom pediu prudência aos usuários de redes sociais ao disseminar informações falsas, as chamadas “fake news”.

Mortes na cadeia

Quinze detentos foram mortos durante uma briga entre facções criminosas, em dois pavilhões do Complexo Penitenciário Anísio Jobim.

As mortes ocorreram durante o horário de visita dos internos e alguns familiares presenciaram as execuções informou o secretário durante coletiva.

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), os detentos foram assassinados por estrangulamento ou por estoques feitos com escovas de dentes dos próprios presos. Alguns detentos foram mortos dentro de suas celas, enquanto estavam trancados, sem a presença de visitas. Dez detentos foram mortos no pavilhão 5 e cinco foram assassinados no pavilhão 3.

A briga seria um racha entre membros da facção Família do Norte (FDN), que estariam tentando tomar o controle da organização no estado.

**Matéria atualizada as 8h desta segunda-feira (27)

Notícias Relacionadas