Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Polícia

Polícia Civil prende homem investigado por homicídios, tráfico de drogas e venda ilegal de terrenos

Polícia Civil prende homem investigado por homicídios, tráfico de drogas e venda ilegal de terrenos
Foto: Divulgação

Na manhã desta quarta-feira (20), por volta das 6h, policiais civis do 30° Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando da delegada-geral Emília Ferraz e coordenação do delegado Torquato Mozer, titular da unidade policial, realizaram operação que culminou no cumprimento de mandado de prisão temporária em nome de Fredson Castro de Oliveira, 33, investigado pelo envolvimento em homicídios, tráfico de drogas, extorsão e venda ilegal de terrenos.

De acordo com o delegado Torquato Mozer, os trabalhos contaram com o apoio do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera). A ação foi realizada dentro da invasão Coliseu, na comunidade João Paulo, bairro Jorge Teixeira, zona Leste da capital. Segundo o titular da unidade policial, em maio de 2019 iniciou-se uma briga entre as facções criminosas que atuavam na invasão. Fredson estava envolvido diretamente com o tráfico de drogas e fazia cobranças de aluguel, água e luz naquela região.

“Após ocorrerem três mortes na comunidade, a polícia iniciou uma investigação para identificar os responsáveis pelos homicídios, que indicavam a participação de Fredson. Com informações que obtivemos, solicitei à Justiça o pedido de prisão dele. Após informações de onde ele estava, nós nos dirigimos ao local para realizar a prisão do infrator. No celular dele encontramos várias informações acerca de venda de terrenos da invasão”, declarou Mozer.

O mandado de prisão temporária em nome do indivíduo foi expedido no dia 19 de agosto de 2019, pela juíza Ana Paula de Medeiros Braga, da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

Procedimentos

Fredson foi indiciado por tráfico de drogas, homicídio e venda ilegal de terrenos. Ao término dos trâmites cabíveis no 30º DIP, ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde passará por audiência de custódia por videoconferência.

Notícias Relacionadas