Polícia prende homem que tentou matar a própria companheira

386

Na manhã desta sexta-feira (3), por volta das 7h30, as equipes da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), das zonas norte e leste, prenderam, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, um homem, 41 anos, por tentativa de feminicídio contra a própria companheira, uma mulher de 38 anos. O crime ocorreu no dia 12 de dezembro de 2019, na residência onde eles moravam, no bairro Santa Etelvina, zona Norte de Manaus.

De acordo com a titular da unidade policial, delegada Wagna Costa, o infrator foi preso no bairro Cidade de Deus, na mesma zona em que o delito foi cometido. Na ocasião do fato, os dois iniciaram uma discussão e o indivíduo desferiu pauladas contra a cabeça e o braço esquerdo da vítima. As agressões ocorreram em meio a ameaças proferidas pelo infrator. No entanto, a mulher aproveitou o momento em que o agressor apagou as luzes para fugir. Ela foi socorrida por vizinhos.

“Pelo fato de termos sido comunicados somente uma semana após o caso ter acontecido, não cabia mais situação de flagrante. Desta forma, para dar início às oitivas, nos dirigimos até a unidade hospitalar em que a vítima estava internada, onde recebia atendimento médico em decorrência das lesões corporais que sofreu. Ao longo das investigações, encontramos várias evidências apontando que o indivíduo teria, de fato, tentado contra a vida da vítima”, explicou a delegada.

Conforme a autoridade policial, o casal vivia junto há cerca de 10 anos, entretanto, o relacionamento sempre foi marcado por agressões cometidas por parte do infrator contra a vítima, que temia se separar do indivíduo por dependência financeira. A titular da Especializada destacou, ainda, que após ter ingressado com mandado de prisão em nome do homem, a ordem judicial foi expedida no dia 27 de maio deste ano, pela juíza Priscila Maia Barreto da Central de Inquéritos.

Procedimentos

O homem foi indiciado por feminicídio tentado no âmbito da violência doméstica. Após os trâmites na unidade policial, ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.