Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Polícia

Polícia prende mulher que desviou cerca de R$ 575 mil de agência de turismo em Manaus

Polícia prende mulher que desviou cerca de R$ 575 mil de agência de turismo em Manaus
Foto: Divulgação

Procurada por ser a mentora de um esquema criminoso que causou prejuízo estimado em R$ 575 mil a donos de uma agência de turismo na capital, Sandra Telma da Silva Cabral, de 37 anos, compareceu espontaneamente, na manhã de quinta-feira (1º), por volta das 9h, no prédio da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), onde foi cumprido, pela equipe da especializada, mandado de prisão temporária em nome dela, por associação criminosa e furto qualificado mediante fraude.

De acordo com o delegado Demetrius Queiroz, adjunto da DERFD, o esquema criminoso comandado por Sandra, dentro da empresa, vinha ocorrendo desde 2016 e envolvia mais três ex-funcionários da agência. “Adryeny do Socorro Costa Aboim, de 38 anos, nos procurou no início de julho deste ano e delatou os comparsas. Por ter colaborado com as investigações em torno do caso, ela foi indiciada pela prática criminosa”, argumentou.

Após delatar o grupo, Adryeny comunicou os comparsas sobre a decisão. Laci Jeronimo Alves, 59, e Rodrigo Santos de Almeida, 35, compareceram espontaneamente ao prédio da DERFD na última sexta-feira (26/7), acompanhados dos respectivos delegados. A autoridade policial relatou que as ordens judiciais em nome dos infratores foram expedidas no dia 19 de julho deste ano, pela juíza Careen Aguiar Fernandes, da 7ª Vara Criminal.

“Laci e Rodrigo eram responsáveis por emitir os bilhetes aéreos para terceiros, enquanto Adryeny era encarregada de zerar as operações no sistema da empresa, para que os valores não constassem no controle financeiro da agência. O esquema foi arquitetado por Sandra Telma, que trabalhava há mais de 15 anos no estabelecimento”, declarou Queiroz.

Procedimento – Assim como os comparsas, Sandra Telma foi indiciada por furto qualificado mediante fraude e associação criminosa, mas não será recolhida em unidade prisional na cidade, por apresentar alvará de soltura concedido pela Justiça.

Para concluir, Demetrius Queiroz assegurou que as equipes da especializada estão intensificando as diligências com foco em defraudações. “Sabemos que crimes desta natureza, além de movimentarem milhões de reais de forma ilícita, prejudicam inúmeros empreendimentos que fomentam a economia do estado e geram empregos”, justificou.

Notícias Relacionadas