Chico Preto tem a candidatura impugnada a pedido do MPAM

95

O candidato Chico Preto (Democracia Cristã) teve sua candidatura a prefeito de Manaus impugnada pelo promotor Francisco Campos, do Ministério Público Eleitoral (MPE) nesta quarta (30).

A impugnação decorre de condenação que ocorreu em 2017, relacionada com assassinato do sargento José Cláudio da Silva, segurança particular e amigo de Chico Preto. Ele foi condenado a pagar uma multa no valor de R$ 25 mil

O sargento foi assassinado com três tiros em 2014 por dois criminosos enquanto acompanhava a esposa de Chico.

Em nota divulgada nesta quinta (1°), a assessoria do candidato alega que Chico afirma, que o MPE agiu de maneira parcial e completamente duvidosa com esse pedido de impugnação.

Confira a nota

Impugnação da candidatura Chico Preto 27

Diante de decisão absolutamente injusta o candidato a prefeito de Manaus, Chico Preto, recebe com indignação a notícia da impugnação de sua candidatura pelo MPE, usando como base uma questão judicial resolvida em 2017. O episódio utilizado como justificativa é o assassinato do sargento José Cláudio da Silva, o Caju, amigo de longa data do então deputado Chico Preto e sua família.

É importante ressaltar que o sargento foi assassinado por dois criminosos enquanto acompanhava a esposa de Chico Preto, na condição de amigo próximo da família. Em 2017, Chico Preto entrou em acordo com o TRE para pagar multa referente ao episódio, NÃO havendo qualquer implicação de prática criminosa. Como ficha limpa, Chico pôde disputar em 2018 eleições estaduais como candidato a vice-governador. Agora, em 2020, na mesma condição de ficha limpa, o MPE de maneira parcial e completamente duvidosa impugna sua candidatura a prefeito de Manaus sem haver qualquer mudança no entendimento de que NÃO houve prática criminosa por parte de Chico Preto.

Com o atual cenário, fica evidente o viés persecutório por parte de setores que se sentem ameaçados em virtude de uma candidatura totalmente desvinculada das práticas corruptas de troca de apoios e de favores com o dinheiro dos cidadãos, principalmente por meio da propina e superfaturamento de obras na prefeitura de Manaus. Por fim, a assessoria de imprensa informa que o candidato Chico Preto irá confrontar com todos os meios possíveis a opinião do promotor Francisco Campos do Ministério Público Estadual.