Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Política

Comissão da Criança e Adolescente realiza ação de combate à exploração sexual em Parintins

Comissão da Criança e Adolescente realiza ação de combate à exploração sexual e trabalho infantil em Parintins

Comissão da Criança e Adolescente realiza ação de combate à exploração sexual em Parintins
Foto: Divulgação
Um intenso trabalho de fiscalização e prevenção à violência sexual e ao trabalho infantil foi realizado durante o 54º Festival Folclórico de Parintins, pela Comissão de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Jovens da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), presidida pelo deputado estadual Álvaro Campelo (Progressistas). 

2100

Com o apoio da Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval, que é responsável pela fiscalização do cumprimento das normas fluviais de navegação e transporte de passageiros pelos rios da Amazônia, as atividades iniciaram na quarta feira (26), com ações de panfletagem em toda extensão do porto de Manaus e fiscalização em embarcações com destino à ilha, se estendendo até sexta-feira (28). De acordo com um dos coordenadores da ‘Comissão’, Protazio Botelho, em torno de 100 embarcações foram fiscalizadas, alcançando mais de 1.000 passageiros durante a ação. “Nosso objetivo é fornecer informações para que toda população lembre que a exploração sexual de crianças e adolescentes é crime e que precisa ser denunciada, além de identificar qualquer ato ilícito”, explicou Botelho.

Em Parintins, a Comissão das Crianças, Adolescentes e Jovens da Aleam e Marinha do Brasil realizaram abordagem e distribuição de panfletos, contendo informações de prevenção e como denunciar qualquer crime. De acordo com o deputado Álvaro Campelo, o objetivo foi alcançado. "Tivemos a preocupação de iniciar o trabalho de fiscalização ainda em Manaus. Em Parintins, o espaço do "turistódromo" foi importantíssimo para ampliarmos a campanha de prevenção e o contato direto que tivemos com a população, nas abordagens de rua, consolidou nossa ação de combate à exploração sexual e ao trabalho infantil, que atingiu mais de 10.000 pessoas", concluiu Campelo.

Ajude a combater a exploração sexual

Nem sempre é fácil identificar a exploração sexual, já que a maioria dos casos,  acontece dentro da própria casa das vítimas. Por isso, ao suspeitar que uma criança ou adolescente  estejam sendo explorados, disque 100. A ligação é gratuita.

Notícias Relacionadas