Como deputado em 11 anos, David Almeida apresentou apenas três projetos na Assembleia

83

O candidato a prefeitura de Manaus David Almeida (Avante), teve uma participação modesta para não dizer pífia, quando era deputado estadual no Amazonas. Em quase 11 anos e meio atuando como parlamentar, o político apresentou apenas três projetos para serem votados na Assembleia, basicamente um projeto por mandato.

David Almeida recebeu nesses 11 anos e meio um total de mais de R$ 7 milhões do governo do Estado, incluindo salários e a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, o famoso cotão, valores que são pagos até hoje. Desde que iniciou sua vida na política em 2006, recebeu salários mensais de R$25.322,25 mais R$ 3.494.470,5 do cotão, fora outras regalias.

Em 2018, o então deputado estadual David Almeida, à época no PSB, foi o principal doador individual para a própria campanha a governador. De acordo com balanço no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ele doou R$ 190 mil, o que representava à época, mais da metade (57,7%) de tudo que ele recebeu de salários ao longo do ano: R$ 328,9 mil. Em 2018, o salário bruto de um deputado estadual no Amazonas era de R$ 25,3 mil.

A doação de David para a campanha dele mesmo representou 10,3% do total que ele declarou ter recebido de receitas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Para a eleição de 2020, David Almeida declarou bens no valor d R$ 857,5 mil, valor 67,8% maior do que os declarados em 2018, mesmo estando desempregado: um carro, de R$ 40 mil, o apartamento na Ponta Negra, de R$ 467.529,00, um outro carro, de R$ 60 mil e uma casa, no Morro da Liberdade, de R$ 290 mil.

A segunda maior doação foi do médico Júlio Cesar Furtado de Queiroz, ex-presidente do Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas (ICEA), que em 2017, quando o Estado foi governado, entre 9 de maio e 4 de outubro, por David Almeida, recebeu R$ 44,9 milhões da Secretaria de Saúde, para prestação de serviços em hospitais estaduais.

No final de 2018, a Assembleia, presidida por David Almeida, aumentou os salários dos deputados para R$ 29,5 mil, do governador Wilson Lima, para R$ 28 mil, o do vice-governador, para R$ 26 mil e o dos secretários estaduais, para R$ 23 mil.