Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Política

Lei prioriza emissão de laudo pelo IML para mulheres vítimas de violência

Lei prioriza emissão de laudo pelo IML para mulheres vítimas de violência
Foto: Divulgação
Foi aprovado na sessão de votação desta quarta-feira (14) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o Projeto de Lei (PL) de autoria do deputado Saullo Vianna (PPS) que prevê prioridade na emissão de laudos pelo Instituto Médico Legal (IML) a mulheres vítimas de violência.

Saullo, que é presidente da Comissão de Promoção Social e Cultural da Aleam, frisou que a proposta visa, acima de tudo, oferecer mais celeridade à apuração dos casos de violência contra a mulher. “Essa iniciativa pretende minimizar as dificuldades vividas pelas vítimas. Casos de violência doméstica e familiar não podem aguardar tanto tempo”, enfatiza.

O deputado explicou que a Lei Federal nº 13.721/2018 garante que vítimas de violência doméstica tenham prioridade para realizar atendimento quanto ao dia e horário. O PL aprovado nesta quarta (14) pela Aleam assegura que o laudo seja emitido no prazo de 24 horas pelo IML em todo Estado do Amazonas.

“A média atual de emissão dos laudos pelo IML é de 30 dias. Lamentavelmente as queixas são frequentes quanto à lentidão, pois sem as provas materiais as vítimas terão enormes dificuldades de obter as medidas legais para se precaver diante do seu agressor. Se uma agressão não está constatada oficialmente, como é possível que as autoridades, que não a presenciaram, possam tomar as medidas necessárias contra o agressor?”, questiona o deputado.

A lei segue para a sanção do governador Wilson Lima. O parlamentar destacou ainda que a mesma não gera ônus para a administração pública e aproveitou para parabenizar a deputada Alessandra Campêlo (MDB), que tem feito um trabalho expressivo em defesa dos direitos da mulher, especialmente este mês, com a divulgação da Campanha Agosto Lilás. O objetivo é conscientizar a sociedade pelo fim da violência contra a mulher e divulgar a Lei Maria da Penha (nº 11.340, 7 de agosto de 2006).

Notícias Relacionadas