Seu Navegador não suporta scripts.
Carregando

Política

MP-AM inicia atuação do Grupo de Trabalho para agilizar processos em Coari

MP-AM inicia atuação do Grupo de Trabalho para agilizar processos em Coari
Foto: Divulgação

Uma equipe de quatro Promotores de Justiça e três servidores iniciou, nesta segunda-feira, a atuação do Grupo de Trabalho (GT) criado pelo Ministério Público para dar celeridade aos procedimentos de investigação, abertos pelas Promotorias locais entre 2017 e 2019, que apuram a corrupção, tráfico de drogas, atuação de quadrilhas de piratas, entre outros crimes na cidade de Coari, interior do Amazonas. O início dos trabalhos foi oficializado pela Procuradora-Geral de Justiça, Leda Mara Nascimento Albuquerque, que foi ao município acompanhada dos Promotores que compõem o GT e servidores especializados em investigações de áreas como contabilidade, por exemplo. "É uma comarca extremamente complicada do ponto de vista da improbidade administrativa e do criminal, também. Vocês sabem, são conhecedores dos problemas que Coari vive com relação ao tráfico de drogas. Não é simples trabalhar nessa comarca apenas com dois Promotores de Justiça. Daí o nosso propósito de criar essa força-tarefa como forma de resolver esses problemas, enfrentados pelos Ministério Público na cidade, mas também aumentar a estrutura. A ideia é criar uma promotoria extrajudicial, para que os procedimentos extrajudiciais sejam cuidados especificamente por um promotor", afirmou a Procuradora-Geral de Justiça.

2428

O Grupo de Trabalho terá, em princípios, 60 dias para apresentar o seu relatório, com possibilidade de prorrogar este prazo por mais 60 dias. Para um dos Promotores originais da Comarca de Coari, Wesley Machado, pelo menos 150 procedimentos extrajudiciais serão analisados. Esses procedimentos, que não passam pela esfera da Justiça, são tratados exclusivamente pelos Promotores. São investigações de vários crimes como, por exemplo, os de tráfico de drogas, ações de piratas que atacam as embarcações que navegam por aquela região do Amazonas, por onde passa o rio Solimões, e a própria corrupção envolvendo agentes públicos e empresários. Os processos judiciais, já em trâmite na Justiça de Coari, também serão analisados. "Assim, faremos uma verificação de todos os processos judiciais em que seja exigível uma manifestação do Ministério Público. Além disso, também adotaremos as medidas investigativas ou judiciais para garantir o regular andamento dos diversos processos administrativos instaurados no MP, ambientais, consumeristas, criminais, família e diversas outras matérias. Dentre essas questões, o Grupo de Trabalho também atuará no combate à corrupção na gestão pública (atual gestão e gestões anteriores) e no combate ao tráfico de drogas e à pirataria", disse Wesley Machado.

Notícias Relacionadas