Primeiro debate a prefeitura de Manaus é marcado por ataques

89

Na noite desta quinta-feira (1º), a TV Band Amazonas realizou o primeiro debate entre candidatos à prefeitura de Manaus, com oito dos onze candidatos. O candidato do Podemos, Amazonino Mendes, não participou do debate devido a questões sanitárias.

Nicolau x David Almeida

Entre os embates mais acalorados que tivemos durante o debate, o candidato Ricardo Nicolau (PSD) questionou David Almeida (Avante) sobre contratos que foram alvos de análise de órgãos de controle e estão relacionados à sua gestão interina no governo do estado em 2017.

Nicolau citou, por exemplo, a multa do TCE-AM ao ex-secretário de Saúde por supostas irregularidades em cirurgias no interior e exames com 1.100% de diferença de preço.

David reagiu afirmando que teve suas contas aprovadas pelo TCE-AM e que processos foram arquivados pelo Ministério Público do Estado.

Romero Reis x Alfredo Nascimento

Outro ponto que foi bem discutido, foi sobre a questão da BR-319. Romero Reis (Novo) e Alfredo Nascimento (PL) protagonizaram uma verdadeira “trocação” ao discutirem o tema BR-319, no debate da Band AM, nesta noite.

Ironizando resposta de seu oponente, Romero comentou que “mandatos de malandros, ou malandragens, não vão resolver os graves problemas que nós temos”.

Alfredo retrucou:

“A malandragem parece que é sua, militar, porque você não conhece a verdade sobre a BR-319”, e continuou:

“Você não tem preparo para ser prefeito porque a primeira observação que você fez não é verdadeira”.

Apenas um direito de resposta foi concedido

A batalha jurídica nos corredores da TV Band foi intensa nesta quinta-feira, dia 1º, durante o primeiro debate com os candidatos a prefeito de Manaus.

Advogados de peso pediram vários direitos de resposta, mas só um foi concedido. O solicitado pelo candidato Ricardo Nicolau (PSD) que foi chamado por David Almeida (Avante) de “leviano”.

Nicolau estava acompanhado pelo jurista José Fernandes Júnior, que conseguiu convencer a comissão de advogados enviados pela OAB-AM a conceder um minuto para a defesa de seu cliente.

Alberto Neto x Marcelo Amil

Oriundo da Polícia Militar, por isso supostamente conhecedor dos problemas de segurança da capital, o candidato Capitão Alberto Neto (Republicanos) acabou em “saia justa” quando puxou o tema para o adversário Marcelo Amil (PCdoB).

Ao abrir questionamento sobre o tema dizendo que, por o Amazonas estar na tríplice fronteira com Colômbia e Peru, os maiores produtores mundiais de cocaína, Manaus sobre esses reflexos na segurança pública, Alberto Neto quis saber o que Amil tinha para essa área, talvez tenha recebido uma resposta inesperada.

“Pretendo prestigiar soluções inteligentes que funcionam mundo a fora e não caiam simplesmente na falácia de um discurso mais leve”.

Amil acrescentou ainda ser contrário ao armamento do guarda municipal, mas que ampliaria o quadro para 2 mil agentes com concurso público.

Além disso, disse ao capitão PM que a questão da segurança podia ser melhor resolvida pelo estado porque as estatísticas apontam que a violência e criminalidade está concentrada em apenas 1% das 13 mil ruas da capital.

“Não vamos enganar o eleitor. A gente sabe o que é competência do município e o que não é”.

Demonstrado um certo ar de surpresa diante da fala de Amil, Alberto Neto reagiu assim:

“Nós não queremos enganar o eleitor, queremos levar segurança…”.

O tempo acabou e ele não conseguiu completar o raciocínio.