Sem receber salários há dois anos, David Almeida mantém vida de luxo na Ponta Negra

687

O candidato à Prefeitura de Manaus nesta eleição David Almeida (Avante), costuma se vangloriar de ter sido motorista e ter vencido na vida, mas não sabe explicar como alguém que deixou de ser motorista e se tornou deputado estadual, consegue manter uma vida luxuosa em um condomínio no bairro da Ponta Negra, sem receber salários há mais de dois anos desde que deixou o mandato.

O questionamento vem sendo feito por adversários e eleitores, após o candidato realizar sua declaração de bens para o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), durante o registro de sua candidatura a prefeitura de Manaus.

David declarou ao TRE-AM possuir bens que giram em torno de R$857.529,00, valor R$ 276 mil maior do que aquele declarado em 2018 quando concorreu ao governo do Amazonas. O patrimônio do candidato cresceu substancialmente entre 2018 e 2020, mesmo o político não ter empresas em seu nome ou receber salários.

O patrimônio de David Almeida inclui um apartamento no bairro Ponta Negra, de R$ 467,5 mil; dois veículos, de R$ 60 mil e R$ 40 mil; e uma casa de R$ 290 mil.

Questionado pela jornalista Rosiane Carvalho em uma entrevista, que mantinha uma equipe consigo, para realizar seus trabalhos de divulgação e publicidade e que seus recursos, seriam oriundos de uma reserva que possuía. “Tenho uma estrutura partidária, amigos e familiares que fazem parte da minha equipe. A maioria é voluntário. Duas ou três pessoas eu pago com recursos de economias”, disse.

No último ano como deputado estadual, David Almeida gastou R$ 75,7 mil em combustível, mais de R$ 6,3 mil por mês. Também alugava um carro no valor de R$ 5 mil mensais. Tudo com dinheiro público.

A fortuna gasta com gasolina era só para percorrer as ruas de Manaus. O parlamentar abastecia sempre no mesmo posto.

Não existem indícios de que ele tenha baixando o padrão de gastos. Pelo contrário. As despesas crescem em tempos de campanha eleitoral.

A análise da prestação de contas dos recursos públicos usados por David Almeida revela que ele gastou R$ 1 milhão com aluguel de veículos, combustível e fretamento de aviões em 59 meses. Somente com locação de automóvel e abastecimento as despesas chegam a R$ 818,9 mil nesse período.

CPI da saúde

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde revelou, que as fraudes nos valores cobrados pela Norte Serviços para a realização de exames de colposcopia e conização em municípios do interior do Amazonas datam do ano de 2017.

De acordo com a CPI, em apenas quatro dias de ação nas cidades de Envira, Ipixuna e Guajará, a empresa recebeu R$ 868.000,00 pelo atendimento de apenas 91 pacientes.

O valor pela realização dos dois exames, que teria média máxima de R$ 1.300 na rede particular, teve total de R$ 8.680,00 pagos pelo executivo estadual da época para os mesmos procedimentos realizados.

David Almeida ficou à frente do governo do Amazonas por quase cinco meses. Outro escândalo na Saúde envolveu o seu irmão, Daniel Almeida. Em um áudio vazado, e amplamente divulgado pela imprensa, o irmão do governador pressiona a diretora do Instituto Gente Amazônica (IGAM), identificada como Maria, que denunciou o superfaturamento de 780 cirurgias no Hospital Delphina Aziz.

O áudio que foi divulgado após denúncia contra o secretário de Saúde na época, Vander Alves. Na gravação, mostra que Daniel Almeida teria pago para o Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED), que administra o Hospital Delphina Aziz, cerca de R$ 8,4 milhões por 780 cirurgias, o que dá em torno de R$ 10 mil por procedimento, quando o preço de mercado gira em torno de R$ 1,1 mil.

Vejam a conversa divulgada pelo Portal Direto ao Ponto: